Amigos

29 de mar de 2010

Metamorfose II

Já não sinto mais nada
nem saudade, nem amor, nem nada
nem a dor no peito nas noites de domingo
agora sou madeira morta
uma porção de pele


Antes, ao menos me machucava
sentia e me mordia de dor
não me sobrou esse consolo


Só me resta agora esperar
o dia em que irei nascer de novo
e voltar a sentir o amor e o ódio
e começar a sentir saudade
da época em que não sentia nada disso.


Guilherme Fontoura.

4 comentários:

  1. Quando li "do Belo" me veio o cantor na cabeça...

    ResponderExcluir
  2. Novamente...belíssimos versos.

    As vezes a gente reza pra não sentir, mas acho que o melhor e o pior do ser humano é essa capacidade, não é?

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  3. Com certeza! ^^
    Dificil lidar com algumas questões humanas quando se é um....
    =p
    Obrigado mais uma vez!
    Beijo

    ResponderExcluir