Amigos

30 de abr de 2010

Carências Insólitas

Jurei que não te escreveria mais
Passei a escrever pra mim,
fiz de você fotografias
escritas em papel úmido

Guilherme Fontoura.

29 de abr de 2010

Gran Circo Mandacaru Voador*




Aqui, temos gente de verdade;
Carne, osso e coração
Comandando o espetáculo
Que anestesia a alma e alegra o sertão

A lona é toda furada
Para que se possa ver o céu
As estrelas nessa abóboda iluminada
E ganhar sorrisos como troféu

Quando a chuva passar
Venha comigo de novo
Mandacaru Voador
A sorte vai chegar

Eu tenho fé...

Que o céu é lona furada
Furada pela luz
Que nos olhos crava
Que vem da lua com brilhos nús

Que assim como as ondas,
Atraem as pessoas
E faz nascer o amor
Que faz de todo mundo, palhaço



Guilherme Fontoura.



28 de abr de 2010

Deixa


Deixa
Eu me apaixonar por você
Prometo machucar apenas a mim
Prometo te querer sempre bem
Prometo ir com você até o fim
e fazer de mim, mil em cem

Só não te prometo ser feliz
Pois só quero amar


Guilherme Fontoura.

25 de abr de 2010

Das insustentáveis palavras

Se todos soubessem
quão pesadas são as palavras
temeriam, e não se acanhariam
ao dizer "eu te amo"


Guilherme Fontoura.

23 de abr de 2010

O Mito

Finalmente entendi
que não sou ninguém sozinho
e que um passarinho
não é tão livre quanto se parece


Sozinho sou metade
parte de um ser terroso, terreno
minha felicidade está
naquilo em que me fará pleno


Mas nessa vida 
já encontrei muito veneno
já me embriaguei facilmente
e acho que agora estou sólido


E quero me derreter
e me prender a um sentimento
que eu acredite.
Isso não entra na minha cabeça


Guilherme Fontoura.

22 de abr de 2010

Outono

A partir de hoje, não sonho mais
vou aprender a me desumanizar
não quero mais
nem tudo, nem nada.
Vou ficar como uma árvore,
que espera paciente
a cada mudança de estação
e mesmo que não queira, 
vou deixar minhas folhas caírem,
e depois nascerão de novo
com a vinda da primavera.
Mas não vou sonhar,
nem chorar as folhas perdidas
nem festejar as ganhadas.
E por pior que pareça a vida
eu não vou precisar pensar assim,
a vida não precisa melhorar
só precisa correr...


Guilherme Fontoura.

21 de abr de 2010

Virgindade

Estabeleço um conceito
vejo a pureza

será mesmo ela?
será mesmo?
será ela?
mesmo?
ela?
será?

e as perguntas só saem do bolso
e não saem da cabeça
estaríamos certos?
quem irá julgar

e vejo a pureza
mas não corpo
não com olhos embaçados
dogmáticos

a vejo na nobreza das ações
no coração que arde
por trás do seio virtude
da benevolência

Construimos então a inocência
ignorando o fazer
Pois a maldade não está na carência
mas nas bocas dos que julgam sem saber

Lucas Bonon.

20 de abr de 2010

Uma colher de sopa

Quando se começa a escrever
Tudo vira poesia
E se aprende a viver
Aquilo que não se amaria


Guilherme Fontoura.

19 de abr de 2010

Metamorfose III


As vezes eu me escondo
e me interno num lugar
que nem mesmo eu sei onde
onde será que minha alma esconde?

Sei que não é em mim
pareço inerte, talvez um casulo
preciso conversar
mas não sei por onde começar

Não sou eu aqui
talvez me encontre em você
esse corpo apodrece
e essa alma, que não se conhece
foi tudo que consegui construir

Guilherme Fontoura.

17 de abr de 2010

Do Tempo

Cada dia que se vive
se percebe toda a tirania
do dia, que passa e a gente nem vê


O tempo é realmente
uma figura estranha
do mesmo jeito que se perde, ganha.


Guilherme Fontoura.

15 de abr de 2010

Medo da Chuva

Quando o menino estendeu a mão
foi imediatamente censurado
era bobagem se admirar com uma gota d'agua
o que há de admirável nisso?
Foi censurado com toda a razão


Até hoje não se entende
que o medo da chuva
é medo da gente


Uma gota de chuva
se acha em qualquer chuva
Mas aquele pingo
pingou no chão
e não em sua mão


Ele que fora censurado, ignorado
havia encontrado o caminho
mas agora já não pensa sozinho
agora está curado.


Guilherme Fontoura.

14 de abr de 2010

Para Refletir

Poucas palavras
apenas poucas palavras
foram tanto
para encher meu coração de dúvida

Apenas no piscar
idéias reversas
fizeram-me transitar
por paisagens submersas

E essa dúvida... latente
uma dívida somente
ela

Não quero a dúvida
quero a certeza
a certeza dos fortes
dos que fazem sem pensar

Quero eu vislumbrar todas as partes
e sentir só quando necessário
para viver como aqueles
de pensamento quadrado

Lucas Bonon.

13 de abr de 2010

Monotonia

Cansei de ser de todo mundo
Quero mostrar para alguém
Tudo aquilo que não mostraria a ninguém
Quero me arrepender de tudo o que disse


Poderia sentir aquele aperto
que há muito tempo não sei o que é


Mas quanto mais tento
mais longe pareço estar
talvez eu saiba lembrar
o mal que isso tudo faz


Guilherme Fontoura.

12 de abr de 2010

Sobre o que vem e vai

“...
Pensando bem, eu já não sei o que queria
Ou fico e me mantenho são
Ou desisto e vivo essa disritmia
E a solidão me fez escolher em vão

Mas não esperava sentir essa dor
A pior forma de dor – quando se sente por alguém
Aquela que se perde a cor
E não se pode viver sem”

Guilherme Fontoura.

11 de abr de 2010

Falando em Segredo

O homem é engraçado
escondemos os mais secretos sentimentos
E nos julgamos diferentes, únicos
até o dia em que descobrimos
que todo mundo é assim

Guilherme Fontoura.

10 de abr de 2010

Para Dormir

Não quero dormir hoje
ficarei aqui, machucado
sim, estou machucado
mas aqui, posso cantar


Não posso encarar a cama
eu não dormiria
independente do sono
a dor é sempre maior


Eu tenho que dormir
mas não quero encarar meu pensamento
"porque você estragou tudo isso
em um só momento?"


Guilherme Fontoura.

9 de abr de 2010

Sobre a Verdade

Ela chega, imaculada
nesse mundo que tudo corrompe,
até a melhor das intenções


Como se tivesse saído d'um lugar melhor
ela chega com gritos e sofrimento
Mas, onde há de existir lugar melhor?


Vive-se na carne viva
à todo vapor, à flor da pele
Sente-se o sabor, sente-se tudo


E quando chega a dor...
é o melhor do nosso mundo
não há sensação mais certa


Por meio dela, tudo se expressa
a saudade, a vontade, o amor
não há nada melhor que sentir
o que há de mais divino nesse mundo


Guilherme Fontoura.

8 de abr de 2010

Pensamentos

Os pensamentos me embalam
esses pensamentos tão sonoros
que pensam por mim
e se passam por mim

O que irão pensar?

Lucas Bonon.

7 de abr de 2010

Vida de Anão

De repente saem da sala, os anões
com enxadas e outros apetrechos
seguindo o caminho e cantando os trechos
do Hino ao Engenheiro
Pouco amor e muito dinheiro.


Todos querem ser anões
"é um trabalho digno"
diriam seus pais...
só não sabem o porque.


Mas seguem os sonhos até o fim
não desistem de cavar seus buracos
mais dia, menos dia
sabem que encontrarão seu ouro.


Prefiro o ouro incerto
aquele que você procura sem saber.
Prefiro encontrar a água no deserto
que esperar escurecer


Guilherme Fontoura.

Sobre Ser

Sou um colaborador
uma peça no tabuleiro
talvez um pouco de dor
uma brasa no cinzeiro

O sorriso de um instante
sou o que devo ser
um pensamento inconstante
que seja por merecer

Quem me dera ter a história
mudaria sem deixar pista
guardaria um pouco de glória
sendo ao menos o antagonista

E assim, não me vejo
mau nem bom
apenas um novo arpejo
uma nota fora do tom

Lucas Bonon.

Esse amor...

Não sei se quero isto ou aquilo
ela me atrai e me trai na minha frente
eu trato mal e morro por ela
esse amor doído e diferente


Longe dela eu sei viver bem
Mas perto eu fico muito melhor
Quando ela não está com alguém
Ou quando não lhe desejo o pior


Você, que me ama e me trata tão bem
Trai minha confiança tão naturalmente
que nem sei se quero que fica ou vem
esse amor que me crava o dente...


Guilherme Fontoura.

5 de abr de 2010

Da verdadeira recíproca

Tem gente que acha que o amor escolhe agente, e não o contrário
mas eu insisto...
não há meio sentimento que se cative
em alguem que não o cultive


Guilherme Fontoura.

2 de abr de 2010

Alumbramento

Me encantei com aquele sorriso
por alguns segundos até parei
aquela presença tão singela
me atraia e eu nem sabia


Não pediu licença
não chamou a atenção
não se intimidou
nem pegou na minha mão


Por algum tempo, me confortou
por um segundo que me olhou
soprou no meu peito, brilhou uma estrela
me fez voltar, só para revê-la


Ao voltar, olhei com cautela 
eles conversavam, eu não ouvia
procurava algum mínimo vestígio
mas sua imagem, aos poucos se dissolvia


Guilherme Fontoura.

1 de abr de 2010

Gente nova

Bom, a partir desse mês o "Café Cotidiano" tem um novo colaborador: Lucas Bonon, grande amigo que já escreve a um tempo e agora vai me ajudar a postar aqui no blog.
Espero que gostem!
Abraço

Canção do Momento

Chegamos a um momento
onde somos levados pelo vento
onde fingimos ser o que não somos
caricaturas sem dono

Chegamos a um momento
onde pisam em nosso sentimento
não mais que um momento
onde tocamos sem instrumento

Batidas do coração fazem a percussão
lágrimas imitam guitarras
passos marcam os compassos
e assim eu me encaixo sem caber

Onde está a melodia?
pode deixar: temos a melancolia
temos e tememos
porque esta é a interprete desta canção.


Lucas Bonon.

Agradecimento

Um agradecimento à Maria Luisa Tannous (Mallu) pela sugestão do título do poema abaixo
Valeu Mallu! ^^

Assinatura

A beleza de um poema
Não está na frase ou na rima,
Quando belo é 
o sentimento que assina


Guilherme Fontoura.