Amigos

15 de nov de 2010

De Quando em Quando

De quando em quando penso em ti
Sem a menor vergonha
Sem o menor pudor
Para sentir o passo
Sem sentir dor
Sem compasso


É sempre meu embaraço 
Abrir teus lábios
No melhor momento
Vilões do meu segundo
De quando em quando
Se esvaem com o vento 


Por causa de ti
Procuro o vento


Guilherme Fontoura.

Um comentário: